fbpx

9 Formas de Garantir sua Segurança na Europa

9 Formas de Garantir sua Segurança na Europa

Como você pode evitar os problemas mais comuns que os viajantes encontram e ter uma viagem tranquila e segura.

Quando se trata de crimes violentos a Europa é um dos lugares mais seguros do mundo. Porém, quando se trata de pequenos furtos, é o paraíso dos batedores de carteiras e golpistas. E sim, eles miram você!

“Os batedores de carteira amam os turistas.”

Os turistas têm dinheiro, celular, tablet, computadores e câmeras fotográficas, não sabem falar o idioma, não conhecem o lugar e estão completamente distraídos… quer vítima melhor?

Eu, até hoje, nunca passei por problemas ligado a segurança, apesar de algumas tentativas frustradas.

Lembre-se que praticamente todos os crimes que acontecem contra o turista são crime não-violentos. E mais importante que qualquer dica encontrada aqui, é sempre usar do bom senso durante a viagem. Então tenha atenção, use o bom senso e aproveite. Você deve limitar suas vulnerabilidades e não suas viagens!

“Você deve limitar suas vulnerabilidades e não suas viagens!”

1. Para começar: Estabeleça a disciplina de não esquecer as coisas

Na Europa o viajante tem uma chance muito maior de perder seus pertences a ser roubado por alguém. Já ouvi pessoas que esqueceram o passaporte embaixo do travesseiro, bolsa dentro de táxi e câmera na mesa do restaurante. No hotel, faça um checklist mental dos pertences e das bagagens, e evite colocar as coisas em lugares muito diferentes ou escondidos.

Acostume-se a olhar para trás sempre que sair de algum lugar ou algum transporte. Antes de sair verifique embaixo da cama, do travesseiro, atrás das portas e as tomadas. No restaurante evite deixar seu celular em cima da mesa. Mantenha esses pequenos hábitos e você não vai ter problemas.

2. Não deixe nunca seus pertences sem supervisão

- Anúncio -

Isso pode parecer óbvio e constrangedor. Você não quer sair do Brasil para ser furtado em um país de primeiro mundo, não é? Mas isso acontece o tempo todo. Os viajantes ainda deixam as bolsas no chão, na cadeira ou simplesmente desviam o olhar um segundo para o lado errado, e lá se foi. O viajante normalmente está distraído com as coisas novas para ver e os oportunistas sabem disso.

“Não subestime os batedores de carteira, muitos encaram isso como uma verdadeira arte.”

Então, sempre fique atento. Coloque uma alça presa em você ou em algum lugar. Deixe sempre as bolsas debaixo dos seus olhos, tenha atenção com suas coisas e garanta que seus companheiros de viagem façam o mesmo, e tudo ficará bem.

Cartaz exposto no Museu do Louvre em Paris e que pode ser encontrado em muito outros lugares na Europa

3. Atenção em dobro nas aglomerações

Sempre fique muito alerta quando você estiver dentro de aglomerações, seja no transporte público, no aeroporto ou nos museus. A multidão serve como uma bomba de fumaça para os gatunos.

Em metrô e ônibus que percorrem pontos turísticos — como o #64 de Roma e o #28 de Lisboa — tenha atenção redobrada. Não subestime os batedores de carteira! Muitos encaram isso como uma verdadeira arte.

4. Não use o bolso de trás

Simples, é o bolso mais fácil para um batedor de carteira retirar algum pertence. Os homens normalmente colocam a carteira e muitas mulheres, o celular. Mas enquanto estiver viajando use esse bolso apenas para coisas sem valor.

Guarde seus pertences em bolsos internos de casacos ou no bolso da frente, quando não houver opção. Uma ótima saída é utilizar o cinto interno (também chamado de Money Belt), aquele parecido com uma pochete, mais fina, que você coloca embaixo da roupa.

Intermezzo

A distração das vítimas é sempre o fator mais importante para uma ação ser bem-sucedida

5. Não dê esmolas

Sem exceções. Mesmo que seja um monge ou um padre. Na verdade, não dê dinheiro para ninguém na rua, seja alguém explicando ser de uma instituição de caridade ou adolescentes pedindo dinheiro para um evento no colégio. Sem falar no fato de que eles podem simplesmente pegar sua carteira ou bolsa e correr. Encorajar pedintes não é a melhor forma de usar seu dinheiro (e boa vontade).

Se você realmente quiser ajudar uma comunidade, inscreva-se em algum trabalho voluntário ou doe para uma instituição local de caridade. Você ainda pode fazer um empréstimo para empresários promissores via Kiva

As mães com bebês trabalham duro. Não se engane! É a faixa e não a mão esquerda dela que está segurando a criança. A mão está livre para agir.

6. Separe a fonte do dinheiro

É muito normal que no Brasil a gente use todos os cartões de crédito na mesma carteira, mas viajando, não faça isso! Caso perca a carteira, ou o cartão fique preso no caixa automático ou se for bloqueado, você terá um problema sério. Mantenha sempre um cartão reserva separado.

Outra coisa: é muito frequente quando um casal viaja, que apenas um deles leve o cartão com o dinheiro da viagem, deixando os outros cartões em casa. Não faça isso! Solicite o desbloqueio dos cartões de todos que irão viajar, mesmo que a intenção inicial seja usar apenas um deles. Caso ocorra algum problema, é muito mais fácil acessar o Banco via internet e movimentar o dinheiro para outro cartão ou outra conta.

7. Usando táxi

Na Europa eu raramente utilizo táxi, prefiro dar preferência ao transporte público que é muito eficiente, seguro e muito mais barato, mas ocorrem momentos em que o táxi ainda é a melhor opção. Infelizmente, taxistas desonestos existem no mundo inteiro e o turista sempre é o principal alvo. Saindo do aeroporto evite pegar o primeiro táxi que aparece, planeje-se antes. Tente utilizar os táxis que possuem guichê no aeroporto. Se estiver num restaurante, peça ao garçom algum táxi de confiança.

O taxímetro também é uma parte importante, certifique-se que o motorista iniciou o taxímetro no início da corrida e caso ele se recuse, simplesmente saia do carro. Tem uma grande chance de você ter problemas com essa corrida. Em alguns casos, o preço da corrida é pré-definido (do aeroporto para cidade, por exemplo). Então certifique-se com seu hotel ou com algum balcão de informações sobre o preço correto. E sempre evite pagar com notas de valor muito alto.

“Encorajar pedintes não é a melhor forma de usar seu dinheiro (e boa vontade).”

8. Cuidados com um carro alugado

Evite deixar qualquer coisa que possa chamar atenção dentro do carro, como bagagem, bolsas ou coisas de valor quando estacionar. Deixe seus pertences na mala, ou ainda melhor, no seu hotel. Deixar o porta luvas aberto é uma forma de mostrar que não há nada dentro, e assim ninguém precisa quebrar a janela para verificar. Tente deixar o carro mais comum possível. Evite deixar mapas ou material de turismo nos bancos. Ao invés disso, compre um jornal local e deixe no carro.

Sim, as aparências enganam!

9. Faça um seguro viagem

Muita gente ignora o seguro. Ninguém espera usar um seguro durante uma viagem, não é mesmo? Mas se você ficar doente vai desejar ter feito um. Atendimentos médicos em outros países podem chegar facilmente aos mil ou dois mil Euros, mesmo os menos graves. E para entrar em muitos países o seguro viagem é obrigatório.

Os melhores seguros cobrem todos os gastos de saúde, saúde dental e ainda problemas com perda de bagagem e atrasos de voos. E normalmente tem um custo baixo pela tranquilidade que trazem quando ocorre um problema. Não abra mão disso.

Documentário: Pickpocket King

Bob Arno se faz de vítima para encontrar os reis do pickpocket em Nápoles

Documentário da National Geographic em que Bob Arno, um dos maiores especialista na arte do pickpocket, vai até Nápoles na Itália procurar os maiores batedores de carteira da vida real.

Daniel Ribeirohttps://www.goeuropa.com.br
Apesar de conhecer várias partes do mundo, a grande paixão do Daniel Ribeiro ainda é a Europa. Ele fundou o GoEuropa com a intenção de inspirar e ajudar mais pessoas a fazerem viagens incríveis, ensinando que gastar menos pode trazer as melhores e mais autênticas experiências no velho continente.

6 Passos Definitivos para Planejar a Viagem dos seus Sonhos

Receba GRATUITAMENTE esse guia completo. Descubra os segredos de viagem mais bem guardados e transforme seus sonhos em realidade.

Você Também Vai Gostar:

Deixe uma resposta

Apesar de conhecer várias partes do mundo, a grande paixão do Daniel Ribeiro ainda é a Europa. Ele fundou o GoEuropa com a intenção de inspirar e ajudar mais pessoas a fazerem viagens incríveis, ensinando que gastar menos pode trazer as melhores e mais autênticas experiências no velho continente.
- Anúncio -

Rede Social

138,013FãsGostar
39,673SeguidoresSeguir
42,471InscritosInscrever

Mais Vistos

Vilnius Stories

Os melhores momentos dos vídeos que foram transmitidos pelo Instagram Stories durante minha última visita a Vilnius na Lituânia.

O Centro de Oslo na Noruega

A Noruega hoje é um dos países mais ricos do mundo, mas nem sempre foi assim. O país já foi bem pobre, dominado por outros países e passou por um forte processo de emigração por causa de seus problemas. Como se não bastasse, só conseguiu sua independência no início do século 20. Foi durante esse século que o país se desenvolveu como um grande produtor de petróleo e soube aproveitar bem esse momento. Nesse vídeo eu falo um pouco mais sobre a capital Oslo e sobre uma parte da história desse incrível país.

A Place de Vosges de Outro Ângulo

A Place des Vosges foi construída e 1605 e na época foi uma grande sensação em Paris. Ainda chamada como Place Royale ela atraiu vários ricos e famosos para morar no seu entorno. Duzentos anos mais tarde, na época da revolução francesa, a aristocracia deixou a região que passou a ser ocupada pela classe trabalhadora. Nessa mesma época o escritor Victor Hugo veio morar aqui e hoje você pode aproveitar a casa dele para observar essa praça de um ângulo bem diferente.

O Museu de Montmartre Conta Muito Mais

A região de Montmartre em Paris atraiu muitos artistas durante anos. Muitas obras famosas foram inspiradas nessa região boêmia da cidade. Esse museu é um dos melhores para entender essas histórias. Não só pelo acervo, mas também pela história do próprio prédio.

Galleria Vittorio Emanuele II – Milão, Itália

No século 19 o mundo passou por mudanças radicais. O pensamento nacionalista que tinha começado com a revolução na França no final do século anterior, estava crescendo pela Europa. O povo começava a exigir um governo que trabalhasse para ele.   Esse pensamento nacionalista ainda foi mais impulsionado pelo o romantismo, o movimento artístico que colocava o coração na frente da razão. Esse movimento aconteceu em vários sentidos, inclusive na música. Muito compositores traduziram esse sentimento em seus trabalhos. Um exemplo foi a ópera "Aida" do italiano Giuseppe Verdi.