Muita gente viaja para Europa e pensa logo em comprar o Passe de trem, para viajar à vontade pelos países. Infelizmente, hoje em dia, o passe não é tão interessante quanto era antigamente. Nesse vídeo eu explico as vantagens e desvantagens de usar o passe nas suas viagens.

 

 

Hoje, eu vou falar sobre os trens na Europa. Essa é provavelmente uma das dúvidas que o pessoal mais tem, sobre os trens. Como a gente não tem muito trem no Brasil, então as pessoas não estão acostumadas a andar de trem, não entendem muito bem como funciona todo esse sistema de transporte lá na Europa, e viajar de trem na Europa é uma das coisas mais legais que tem. Faz parte da experiência de viajar para a Europa, faz parte da cultura europeia. E eu diria que não tem nenhuma viagem para a Europa estaria completa sem pelo menos um percurso de trem durante essa viagem.

Uma das coisas que eu quero falar aqui, que é uma das maiores dúvidas que eu recebo, que é sobre o passe de trem. Não sei se você já ouviu falar, mas o passe de trem é uma passagem que você compra, uma passagem especial, e que ela te dá o direito de viajar por vários dias, quantas vezes você quiser naquele dia. Numa primeira impressão parece ser muito interessante, então você vai pagar um único valor e vai comprar X dias ali de viagem, e durante esses dias de viagem você vai viajar a vontade, pegar quantos trens você quiser, pra qual percurso você quiser, e simplesmente entrar no trem e viajar.

Só que não é tão simples assim, tem alguns porém. Tem coisas por trás disso que as pessoas não divulgam muito e acaba que pro viajante, que não conhece, pode ser dar mal, quando você não tem determinadas informações sobre o passe.

Então, vamos fazer um apanhado geral sobre o que é o passe. Tem alguns sites especiais para a compra do passe, você pode comprar direto no site e receber em casa, e ele é vendido em algumas “modalidades”. Então você pode comprar alguns tipos de passe:

Global Pass: é uma passe global, que você viaja praticamente por toda a Europa. E quando eu digo “praticamente” é porque não são todos os países que aceitam esse passe específico. Alguns países, apesar de não fazer parte, a maioria dos países vai permitir o uso. Então você vai comprar esse passe e vai viajar por todos esses países que aceitam. Ele vai te permitir entrar e sair de qualquer país desse de trem.

Select Pass: quando você entrar no site de passe, você vai ter essas opções. O Select Pass é um passe que você escolhe até quatro países para você viajar, contanto que eles façam fronteira uns com os outros. Então, por exemplo, você pode comprar um Select Pass que vai incluir Portugal, Espanha, França e Suíça, por exemplo. Como esses países fazem fronteira, você pode comprar o Select Pass para uso nesses quatro países. O que você não pode, por exemplo, é comprar um Select Pass que você vai ter Portugal, Espanha, Holanda e Alemanha. Não vai funcionar pro Select Pass pois esses países não fazem fronteira.

Regional Pass: usado para dois países que fazem fronteira ou região. Você pode comprar Alemanha e França, por exemplo, aí você vai poder andar de trem a vontade dentro desses dois países. Ou você pode comprar o Regional Pass para Escandinávia, por exemplo, que são os países do norte, que inclui Suécia, Noruega… então você vai poder andar nesses países, pois o Regional Pass inclui também regiões.

One Country Pass: é o passe de um único país. Então você compra o passe só da Espanha, por exemplo, e você vai poder rodar pela Espanha a vontade de trem.

“Muitos trens, principalmente os trens de alta velocidade, não permitem que você entre no trem a hora que você quer, você precisa fazer uma reserva, e essa reserva é obrigatória.”

Além dessas quatro opções, Global Pass, Select Pass, Regional Pass e One Country Pass, você também tem a opção, dentro dessas quatro opções, escolher outras duas modalidades:

Flexipass: quando você compra e uso o passe me dias flexíveis. Como funciona: você vai escolher, por exemplo, um passe de um único país, o One Country Pass, pra Espanha. Então eu ainda tenho a opção de escolher quantos dias de viagem eu quero na Espanha. Então eu posso escolher, por exemplo, cinco dias de viagem. Então, dentro desses cinco dias eu vou poder andar a vontade de trem. E quais são as modalidades que eu tenho quando escolho cinco dias: se eu quero cinco dias para usar a vontade a qualquer momento num período de um mês, por exemplo. Então ele vai me dar a opção One Contry Pass Flexpass, cinco dias em um mês. Então eu tenho cinco dias para usar aquele passe durante o período de um mês. Passou esse período de um mês eu não posso mais usar nenhum daqueles dias, é como se expirasse aqueles cinco dias que eu tenho. Ou eu posso comprar os mesmos cinco dias, só que contínuos, é o Continuous Pass, que normalmente sai um pouquinho mais barato, pois ele não te da tanta flexibilidade. Então, por exemplo, se eu uso hoje o primeiro dia, eu tenho os quatro dias corridos seguintes para usar esse passe. Passou esses quatro dias seguintes, eu já não posso mais usar aquele passe.

Vamos recapitular, parece confuso, mas não é. Eu escolho quantos países eu quero visitar, quais os países que esse passe vai incluir, e depois eu escolho que tipo de passagem que eu quero, quantos dias eu quero. Se eu quero 05 dias, eu quero ele no sistema Flex ou Continuous?

Dependendo da tua escolha, ele nem vai te dar a opção do sistema continuo, por exemplo, ele só vai te dar a opção de sistema flex. O sistema Continuos é mais utilizado pra modalidade Global Pass, onde inclui mais países. Então quanto tem menos países ele só vai te dar a opção do Flexpass, que é você usar um determinado número de dias durante um período de um mês ou dois meses. Então normalmente você tem essas duas opções.

Um ponto chave pro passe: a maior vantagem pro passe é a flexibilidade. Você vai pagar um preço só, e a ideia é que você entre em qualquer trem e vá pra onde você quiser, é só chegar na estação, e partir. Essa é a maior vantagem. Mas tem um porém: nem todos os trens hoje na Europa permitem isso. Muitos trens, principalmente os trens de alta velocidade, não permitem que você entre no trem a hora que você quer, você precisa fazer uma reserva, e essa reserva é obrigatória. Então, o que acontece pra quem tem o passe? Vai ter que fazer a reserva também. Então, você perde um pouco dessa flexibilidade, pois algum dias antes, normalmente até uma semana antes, você vai ter que reservar.

Então se você tem um passe e quer fazer um passeio com um trem de alta velocidade, por exemplo, alguns dias antes você vai ter que pedir a reserva naquele trem. O que faz com que você perca a flexibilidade, que é a grande vantagem, pois, no final, o passe acaba saindo um pouco mais caro ou fica num preço muito próximo de você comprar a passagem ponto a ponto, que é a passagem convencional, que você diz pra onde quer ir e compra aquela passagem. Então a única vantagem do passe seria essa flexibilidade de você poder entrar a qualquer momento, mas a maioria dos trens de alta velocidade não te permitem isso.

“França, Itália, Portugal, Espanha, Suécia… são países que não vale a pena usar o passe, em geral, pois eles acabam pedindo reservas em muitos trens.”

Trem noturno. Se você pretende pegar um trem noturno, você terá de pagar uma sobretaxa ali pra escolher o compartimento que você vai, porque tem camas, então você terá de pagar mais também.

Além da questão da reserva, que faz com que você perca essa flexibilidade, você também tem que pagar por isso, ou seja, pra reservar você tem que pagar. Aí você paga mais cinco ou 10 euros por reserva, o que faz com que o preço do passe, que já é um pouco mais caro, fique ainda mais. Então é legal você levar isso em consideração.

Alguns países, simplesmente, não vale a pena você usar passe. Eu diria que a chance de um passe valer nesses países é muito pequena: França, Itália, Portugal, Espanha, Suécia… são países que não vale a pena usar o passe, em geral, pois eles acabam pedindo reservas em muitos trens. Então além de você reservar com antecedência, você ainda vai ter que pagar uma taxa a mais, o que encarece muito mais o que já é caro.

“Agora, em termos de custo, vale a pena? Eu diria que não.”

Quanto aos trens turísticos, na Europa tem muitos desses trens que passam por percursos que tem uma beleza natural ainda mãos bonita que o normal, então esses trens turísticos normalmente tem janelas grandes. Esses trens normalmente são privados e esses passes não cobrem esse tipo de trem. Acontece isso na Itália, com a Circumvesuviana que passa ali perto do Vesúvio, que vai pra Pompéia, por exemplo, é uma rede privada e você não pode passar o passe ali. A Eurostar que liga a França, a Inglaterra e a Bélgica também, você não consegue usar na Eurostar, que passa por debaixo do Canal da Mancha, então você vai ter que comprar uma passagem à parte. Bernina e Glaciar Express são dois trens turísticos sensacionais na Suíça, que passa nos Alpes, mas você também não consegue usar o passe.

No final, será que vale a pena comprar o passe? Olha, eu diria que se você quer e precisa ter flexibilidade, está indo sem se planejar e quer chegar lá e decidir tudo, o passe nesse caso é a melhor opção dependendo do pais que você esteja. Como disse, em alguns países você não tem essa flexibilidade nem com o passe.

Agora, em termos de custo, vale a pena? Eu diria que não. Pra poucas pessoas vai valer a pena, pra poucos roteiros o passe vale a pena. É muito comum as pessoas acharem que comprando o passe é muito melhor, mas não é muito melhor. Eu diria que, se você estiver com as estratégias certas pra andar de trem e comprar sua passagem, você nem cogita mais o passe, por melhor que ele pareça, pois você consegue viajar melhor e ainda mais barato, mas isso já é assunto pra outro artigo.

Compartilhe esse artigo, é importante que a gente passe essa informação pra muitas pessoas. Tem gente deixando de viajar por falta de informação, ou viajando mal e tendo problemas por falta dessas informações básicas.